13 Tipos de Conteúdos que Você pode Criar para o seu Blog. O 4 Converte Absurdamente! Alex Vargas 2017/06/22 at 12:56pm 2018/10/17 at 12:13pm

Você criou seu blog e está trabalhando duro para fazê-lo bombar. Claro, o objetivo de qualquer pessoa que começa com um blog é conseguir alcançar o sucesso com ele.

Como eu já expliquei aqui, o sucesso em um site não está ligado diretamente à fama. Não se trata de as pessoas estarem comentando sobre ele em reuniões de amigos. É claro que se isso acontecer, significa que o sucesso está chegando a níveis mais elevados, o que é muito bom.

Mas quando falamos de sites e blogs de sucesso, estamos falando do alcance do objetivo que você pré-estabeleceu, como viver apenas do conteúdo que publica, fazer dele sua principal fonte de renda, garantir uma boa renda extra, ou qualquer outro objetivo…

Mas quais seriam os critérios e aspectos relacionados aos blogs de sucesso? O que faz com que as grandes plataformas sejam bem-sucedidas no mercado? Como tornar um site acessado, amado, desejado e compartilhado?

GRÁTIS! Como Criar Seu Negócio Online do Zero... Garantido!

Download gratuito... Mais de 100 Páginas de pura estratégia!

O segredo está no conteúdo.

Nenhuma outra estratégia é tão poderosa quanto o marketing de conteúdo, pois ele abrange quase todos os pontos das ações de marketing hoje. Não importa o nicho em que você trabalhe, o conteúdo fará total diferença em sua estratégia de negócios.

Mas uma dúvida que pode surgir na hora de traçar uma estratégia é sobre os tipos de conteúdos a ser criados. Existem diversos modelos que podem ser usados para engajar leitores e transformá-los em clientes, e assim ganhar dinheiro com blog. Vou listar 13 deles para você considerar.

Você poderá testar e escolher qual deles funciona melhor para você, ou até mesmo usar todos em seu blog. Garanto que o seu repertório de atração e conversão aumentará consideravelmente após a leitura. Confira!

#1 – Post

Post e artigo podem ser usados como sinônimos, mas em algumas ocasiões, vale diferenciá-los. Muitos blogs são compostos apenas por textos curtos, e a eles é dado o nome de posts. São textos mais curtos e diretos que os artigos.

Essa é uma das formas mais populares de se publicar conteúdo, principalmente em blogs de opinião e em formato de diários online. Insights, dicas e narrativas pequenas podem cair bem para a criação de posts.

O tamanho pode variar entre 350 a 600 palavras, contêm título (headline), introdução, desenvolvimento e conclusão. Alguns blogueiros publicam sem imagens, outros preferem incluí-las para complementar a mensagem.

Um bom exemplo é o blog de Seth Godin, uma das maiores autoridades em marketing da atualidade. Toda a estratégia de Godin é baseada em posts curtinhos, que variam de tamanho conforme o tema. Muitos deles têm apenas 3 ou 4 parágrafos, sem imagens.

tipos de conteúdos

Você pode adotar a produção de posts em seu blog, mas fique sabendo que gerar tráfego por esse tipo exigirá de você maiores esforços de tempo e dinheiro. É um formato que gera mais resultados quando a pessoa já é conhecida e tem uma audiência considerável.

Outra coisa que preciso deixar claro é que posts curtinhos podem ter um ponto negativo quando se trata de SEO. Se o direcionamento do blog não for claro, e se a linha editorial não for consistente, os algoritmos podem entender eu seu conteúdo irrelevante.

#2 – Artigo comum

Textos entre 500 a 1000 palavras, com uma abordagem simples e direta. Esse é um tipo de conteúdo bastante usado por blogueiros profissionais e empreendedores digitais para atrair visitantes. Inclusive, para quem pensa em criar uma espécie de portal, manter a recorrência com artigos comuns pode ser uma excelente opção.

Muitos artigos desse tipo tem uma pegada informativa, apresentando um tema interessante para a audiência ou falando do produto ou serviço sem firulas ou até mesmo estilo. Ou seja, é uma apresentação clara e objetiva dos fatos e benefícios.

Nesse caso, especificamente, o conteúdo não é exatamente “matador” e impactante. Sua função é apenas fornecer informações necessárias para que o público tome uma decisão, conheça a marca, se interesse pelo blog etc.

Artigo comum pode ser muito eficaz naquilo que propõe é vender uma ideia ou produto. Se você está pode dentro do conceito de funil de vendas, esse modelo de conteúdo pode ser bastante usado no topo, onde se abordam temas mais genéricos.

#3 – Artigo longo

Conteúdos longos partem do princípio de que quanto mais você conta, mais você vende. Isso significa que textos longos, com muitos fatos e descrição de benefícios, convertem melhor. Por que isso acontece? Porque, ao contrário de uma conversa pessoalmente, o conteúdo só tem uma chance de convencer o público.

Então, você precisa mostrar logo todas as cartas, como, por exemplo fazer um primeiro parágrafo irresistível. O uso da pirâmide invertida, onde se fala das informações mais importantes primeiro, é um recurso apropriado.

Descobri que alguns americanos chamam os conteúdos longos e densos de Hard Content. Você já deve ter reparado que aqui no blog a maioria dos artigos seguem essa linha, ou seja, são longos e aprofundados. Eu consegui fazer crescer o tráfego consideravelmente com artigos entre 2.000 a 4.000 palavras.

Uma pesquisa da Hootsuite mostrou que conteúdos mais longos são mais compartilhados. Neil Patel diz que posts com mais de 1.500 palavras recebem 68% mais tweets e 22% mais curtidas no Facebook do que artigos com menos de 1.500 palavras.

A Hubspot analisou 6.192 artigos publicados no blog da empresa e descobriu que artigos com mais de 2.000 palavras conquistaram mais tráfego orgânico, compartilhamentos nas redes sociais e links externos. Não preciso dizer mais nada, não é mesmo?

#4 – Artigo de conversão

Você com certeza já deve ter acessado e lido muitos desses artigos por aí. Esse é o que eu cito no título desse artigo como o que mais converte. O nome sugere isso, não é mesmo? Sim e você não pode, de forma alguma, deixar de apostar nesse entre os tipos de conteúdos para seu blog.

Além de artigos de conversão estarem entre os que mais atraem visitas, são os que geram mais leads, pedidos de orçamentos e vendas do produto em sites. Tudo por causa da linguagem mais atrativa e persuasiva que o blogueiro ou produtor de conteúdo aplica.

Existe uma analogia interessante para esse tipo de artigo: imagine uma conversa entre você e seu possível cliente. Imagine que você é um vendedor almoçando com um cliente enquanto tenta fazer uma venda. A abordagem da conversa deve ser direta, buscando uma identificação com o potencial comprador.

É assim que deve ser feito um conteúdo de conversão. E não ache que você precisa ser um grande escritor para fazer um texto convincente. Se você conseguir demonstrar paixão pelo produto, conseguirá se sair bem.

Se quiser uma boa maneira de forma de começar a escrever conteúdos de conversão, grave uma fala sobre o produto, transcreva isso e depois edite o texto. Caso não tenha tempo ou não queira colocar a mão na massa, considere contratar algum redator com habilidade para escrever para você.

#5 – Conteúdo de impacto

Aquele tipo de conteúdo que o leitor diz: “Uau” ou “Nossa, eu nunca havia pensado nisso!” Você provavelmente já deve ter lido um conteúdo que te inspirou, emocionou ou motivou de alguma forma. Esse foi um conteúdo de impacto

Escrever alguma coisa que toque o leitor, que o motive a dividir a mensagem com outros, que o faça querer comentar o artigo. O objetivo, nesse caso, é criar algo que faça com que as pessoas prestem atenção, pensem e sintam.

Você deve incorporar histórias que enfatizam suas experiências e são capazes de despertar as emoções. Todos nós sabemos qual é a sensação de ser desprezado ou intimidado. Todos nós já nos sentimos inseguros em algum momento de nossas vidas, e todos nós já tivemos a experiência de trabalhar duro e alcançar uma meta de longo prazo. Que tal descrever isso com palavras?

Quando você incorpora histórias que se entrelaçam com experiências marcantes que já viveu, o seu conteúdo vai direto aos olhos, à mente e ao coração das pessoas. E ele vai ficar lá, vai ser lembrado. Sempre que tiver a chance, crie um conteúdo de impacto. Sua audiência agradece!

#6 – Conteúdo jornalístico/notícia

Marketing e jornalismo andam de mãos dadas na web! E isso não se resume aos grandes portais de notícias. Jornalismo pode ser usado nos negócios hoje. Um artigo noticioso ou matéria pode entrar em cena, sendo usado como mera fonte de informação ou como um ativo poderoso de engajamento, dependendo da estratégia.

Notícias podem ser curtas e objetivas, sendo compostas com “pílulas” ou “drops”. Apresentam uma manchete/título que já aponta para o que será tratado, chamando a pessoa à leitura. O número de palavras varia de 150 a 500 palavras e geralmente tem uma imagem que ajuda a compreensão do tema.

Em muito blogs, a atualização das notícias é diária, fazendo com que o site consiga um número alto de acessos. Um exemplo interessante é o do site Aprenda Piano, onde Ramon Tessmann criou uma área de notícias que é constantemente atualizada sobre temas relacionados à música. Isso ajuda a vender o produto, direta e indiretamente.

Você também pode apostar nesse tipo de conteúdo, mas é preciso ter cuidado para sempre escrever coisas relevantes e não publicar fake news (notícias falsas). Dependendo do nível do seu projeto, contratar redatores e jornalistas é o melhor caminho.

#7 – Artigo com Storytelling

Storytelling é um método que se vale de narrativas aplicadas em palavras ou recursos audiovisuais para transmitir um conceito. Ele tem sido bastante utilizado no marketing como meio de promover a marca sem vender diretamente.

A verdade é que o Storytelling é uma excelente ferramenta para compartilhar conhecimento e atrair pessoas para uma marca.  Se a técnica for bem aplicada em seu conteúdo, você conseguirá chamar a atenção das pessoas e irá engajá-las com mais facilidade.

Uma prática comum entre alguns blogueiros e empreendedores digitais é utilizar uma história pessoal ou profissional para explicar um conceito, uma ideia, uma estratégia, uma tática usada. É possível, por exemplo, narrar como era sua vida antes de usar determinada ferramenta ou método e como ficou depois.

Se você unir isso a dados, conseguirá gerar confiança e ajudar a criar a sua autoridade no assunto (dados são uma ótima forma de apoiar racionalmente as suas afirmações). Faça o teste e analise os resultados após isso.

#8 – Artigo em forma de lista

Se você já acessou o famoso site BuzzFeed, já deve ter percebido que boa parte dos posts que ele lança é em formato de lista. Posso citar alguns exemplos como “21 indícios de que a ciência está indo longe demais” e “23 coisas que o Brasil precisa exportar para o mundo urgentemente”.

As listas dão o ar de que o conteúdo será objetivo e que será rápido de ler. Para quem acessa os sites em busca de “pepitas de informação” e não gosta de perder tempo com textos longos, as listas podem ser muito úteis.

Estudos revelam que as que 79% dos leitores escaneam páginas na internet. Ou seja, eles não leem palavra por palavra, mas apenas aquelas que chamam sua atenção. As listas facilitam este escaneamento.

Eu mesmo utilizo esse tipo de conteúdo com listas aqui no blog. Além desse que você está lendo, posso citar:

Que tal começar a criar listas de coisas que sua audiência gostaria de saber? Comece a pensar em temas interessantes e escreva mega posts para os seus leitores!

#9 – Entrevista

As entrevistas não apenas caem bem em vídeos, mas também em texto. E dependendo de quem você entrevistar, o conteúdo pode garantir vários resultados em tráfego, visibilidade, autoridade, entre outras coisas.

Você pode convidar alguém bem posicionado no seu mercado e pedir para responder algumas perguntas por e-mail. Após as respostas dadas, você pode formatar o texto (não me refiro a mudar o contexto, mas a deixar o texto mais atrativo esteticamente) e publicar no seu blog.

Alguns elementos técnicos podem te ajudar a criar as entrevistas. Por exemplo, notícias em texto apresentam com frequência alguns sinais de pontuação como o ponto de interrogação, o travessão, aspas, reticências, parêntese e às vezes colchetes, que servem para dar ao leitor maior informações que ele supostamente desconhece.

O título da entrevista costuma ser um enunciado curto que chama a atenção do leitor e resume a ideia básica da entrevista. Usar o nome do entrevistado no título pode ser uma excelente maneira de atrair leitores e ser encontrado pelo Google.

#10 – Case de sucesso

O case de sucesso, também chamado de estudo de caso, descreve os relatos da experiência e dos resultados de um cliente (aluno, leitor de livro, etc) a partir do uso do produto ou dos serviços da empresa.

Do ponto de vista do marketing, o case é uma história de sucesso do consumidor, mostrando como a solução da marca contribuiu para que esse cliente atingisse um determinado resultado. Esse tipo de conteúdo pode trazer muitos resultados para você, já que ele reforça o poder do que você vende para os potenciais clientes.

Importante destacar que os casos de sucesso são conteúdos de fundo de funil, ou seja, eles falam diretamente ao leitor do blog que já passou por todas as etapas anteriores e está preparado para comprar.

Como esse leitor é um cliente em e precisa ser encorajado a fechar negócio, nada melhor do que conhecer as histórias de outros clientes que já testaram e aprovaram o produto. Se você já conseguiu conduzir algum cliente ao êxito, pode criar um conteúdo detalhando isso.

Os cases do Fórmula Negócio Online podem te inspirar para criar os seus!

#11 – Artigo com vídeo

Está aí um dos tipos de conteúdos que pode ser bastante útil para sua estratégia, principalmente se você investe em vídeos como eu. A mescla de artigo e vídeos pode gerar um valor imensurável para a audiência. Falo isso por experiência própria.

Essa ideia pode permitir que você crie textos a partir das informações colocadas num formato audiovisual. Além disso, pode incluir vídeos em algum artigo para complementar alguns tópicos de algum artigo. Enfim, as possibilidades são inúmeras.

Quando se trata de vantagem, existe uma indiscutível quanto ao uso dos vídeos no blog: podem ajudar no SEO. Então é hora de começar a usar a criatividade e mesclar vídeos com textos na sua estratégia de conteúdo. Caso ainda esteja travado nas gravações, algumas publicações podem te ajudar:

#12 – Conteúdo como fazer (How-To)

How-To (ou howto) é um termo utilizado para definir um manual escrito com um objetivo específico em mente. A tradução literal para o português é “como fazer”, ou “como conseguir”. O modelo é muito popular entre os blogs americanos e brasileiros.

Este é um dos tipos de conteúdos geralmente destinados aos leitores com poucos conhecimentos técnicos sobre o assunto, e não entra geralmente em grandes detalhes teóricos sobre a abordagem, já que a ideia é conseguir um determinado objetivo.

Posso citar os exemplos aqui do Núcleo Expert:

#13 – Artigo opinativo

Acreditem, o seu público quer escutar as suas opiniões particulares. Se você quer construir sua imagem e apresentar uma marca forte no mercado, você precisa dedicar uma parte do tempo para lançar ideias originais.

Se você me acompanha há algum tempo deve ter percebido que, por vezes, de forma pessoal, uso a opinião em meus artigos e vídeos. Seguindo esse exemplo, você pode reservar alguns conteúdos para mostrar sua visão sobre o mercado, sobre alguma ferramenta, sobre uma tática que testou, etc.

Mas é preciso tomar cuidado, pois é importante estar preparado para produzir esse tipo de texto, pois em algum momento poderão surgir oportunidades ou necessidades de expor ideias controversas através da escrita.

Nos gêneros argumentativos, o autor geralmente tem a intenção de convencer o interlocutor e, para isso, precisa apresentar bons argumentos, que consistem em opiniões e verdades. Esse tipo de conteúdo, como é fundamentado em impressões pessoais pode se tornar fácil de contestar, o que pode atrair haters.

Qual o tipo de conteúdo adotar?

Depende muito do que você pretende alcançar. Essas 13 formas podem te ajudar a gerar resultados, mas dependendo no nicho, do público-alvo e do objetivo, um tipo de conteúdo poderá ser mais efetivo do que o outro.

Nada impede que você aposte em todos paralelamente, mas isso pode gerar uma demanda gigante e muitos fluxos de trabalho. Como a ideia é mais qualidade do que quantidade, mais relevância do que volume, meu conselho é que você escolha alguns dos formatos e faça o melhor conteúdo que puder para sua audiência. Você pode ir testando com o tempo perceber qual deles gera mais resultados para você.

Enfim, agora você tem um guia para criar mega artigos para o seu blog. Pode consultá-lo sempre que quiser! Agora eu preciso saber qual deles mais te atraiu. Deixe um comentário com sua opinião. Terei o prazer de responder a você!

Olha Que Legal Também

88 Compart.
Compartilhar88
Twittar
Compartilhar
WhatsApp