Storytelling é uma palavra em inglês que significa contar histórias envolventes. Porém, não é uma mera história, o Storytelling é considerado como uma arte de contar histórias que transmitem uma mensagem impactante e marcante, sendo usada inclusive em negócios, envolvendo clientes em uma jornada inesquecível.

Já se perguntou o porquê você se lembra de um filme que viu há anos atrás ou de toda letra de sua música preferida e não se lembra da apresentação de anteontem do seu colega de faculdade?

Isso acontece, pois uma boa história envolve, conecta e cria uma relação emocional com você.

Está mais que provado que um fato tem 20 vezes mais chance de ser lembrado se estiver ancorado em uma história.

Todo mundo tem aquele amigo ou colega de trabalho que quando fala os outros prestam atenção, não é mesmo? Realmente alguns indivíduos conseguem prender o foco de todos.

Eles dominam naturalmente a arte de contar histórias.

Sim, determinadas pessoas nascem com essa aptidão. No entanto, não criemos pânico! Se você não tem esse dom nato, saiba que pode adquirir essa habilidade e se tornar um excelente storyteller.

Bom, meu nome é Alex Vargas e sou criador de diversos treinamentos de Marketing e Negócios, sou também escritor e palestrante…

Esse é o NucleoExpert, meu blog onde compartilho artigos para ajudar empreendedores digitais e pessoas que estão buscando trabalhar em casa.

O meu principal treinamento é o Fórmula Negócio Online, que ensina a qualquer pessoa montar um negócio online altamente lucrativo.

Clique no botão abaixo e assista uma aula especial que eu preparei. 🙂

Nesse artigo, você vai aprender:

Continue nessa jornada aqui e se torne um expert no assunto!

O que é Storytelling

O que é Storytelling

Storytelling é a mistura dos termos story (história) + telling (contar). Ou seja, um estrangeirismo cuja tradução simples é contar histórias e se refere à maneira que você narra o enredo.

Por definição, a arte de contar tramas que serão lembradas.

Se esmiuçamos mais precisamente, story é o conteúdo e telling a estrutura.

Dessa forma, storytelling nada mais é do que encadear eventos de uma maneira lógica, dentro de um sistema, que visa prender a atenção do público, encantar e criar uma conexão.

Na verdade, podemos dizer que o termo mais correto no caso do storytelling é estória e não história.

Pois a segunda palavra se refere a fatos reais como a revolução industrial ou alguma coisa que aconteceu na sua vida, rotina ou não.

Já estória é uma estrutura narrativa, geralmente ligada à ficção, mas não necessariamente. Uma é para fatos reais e a outra é um conto bem estruturado, comumente inspirado em roteiristas e escritores.

Sendo assim, o texto vai estar se referindo, a partir de agora, à story e história como correspondente a estória.

Estrutura Básica do Storytelling

O que eu preciso para me tornar um excelente Storyteller

Para a elaboração de um storytelling é necessário no mínimo os seguintes componentes: Um ambiente, personagens (pelo menos um protagonista), um incidente excitante (conflito), uma resposta do protagonista ao conflito, a crise final (o dilema), o clímax e a resolução (onde ficará definida a mensagem – se ela será negativa, positiva ou neutra).

Saber escrever bem também ajuda, pois as histórias precisam ter credibilidade.

Então vamos supor que você queira passar a mensagem que as pessoas focam mais nos erros do que nos acertos.

Com esse objetivo, desenvolve a seguinte narrativa:

Era uma vez um jovem monge que, junto dos outros membros de sua ordem, estava a construir, do zero, um monastério em uma montanha distante, onde não havia pedreiros.

Decidido a aprender e edificar um belo lugar, ele começa a erguer, com muita dificuldade, a primeira parede.

O jovem faz isso lentamente, colocando tijolo por tijolo – com todo cuidado, minúcia e zelo. Bate aqui, acerta ali, bate aqui novamente, para ficar perfeito.

Ao finalizar a primeira, praticamente impecável, avista dois tijolos errados. Isso lhe cai como uma bomba.

Decepcionado e irritado, decide derruba-la, mas é impedido pelo seu mestre.

Tempos depois, após terminarem o monastério inteiro, começam a chegar os primeiros visitantes. Só que, esse monge, envergonhado de seu trabalho, faz o máximo de esforço para que as pessoas não vejam aquela parede com os dois tijolos tortos.

Um dia, ele avista um visitante idoso olhando fixamente para sua parede. Ao se aproximar, o senhor, sorrindo, lhe diz “É uma bela parede”. Intrigado, o jovem monge responde “você não está vendo aqueles dois tijolos tortos?”.

“Sim, estou, mas também estou vendo 998 tijolos absolutamente perfeitos”, responde o idoso.

No exemplo acima, você pode observar que o monge é o personagem principal. A montanha e o monastério em construção é o ambiente.

O desafio de construir o monastério é o incidente. Pegar os tijolos e cuidadosamente fazer o trabalho é a resposta do personagem ao desafio.

Já a crise final se dá quando o monge percebe que, em sua parede perfeita, há dois tijolos tortos, entrando em um dilema entre derrubar ou manter.

E, por fim, o clímax: o visitante olha para parede, admirado, achando-a maravilhosa.

O olhar do visitante para a obra transforma completamente a visão que o monge tinha dela e até da vida em si.

Criando assim, outra perspectiva, que permeia a seguinte mensagem:

Passamos tanto tempo olhando para os dois tijolos tortos, que nos esquecemos de observar que, junto deles, existem outros 998 absolutamente perfeitos.

O conto acima é retirado do livro do monge budista Ajahn Brahm.

Ele ajudou a explicar o que é a estrutura de um storytelling com mais facilidade e de uma forma mais dinâmica.

Esse é exatamente o objetivo de contar histórias ilustrativas. Falando nisso, os grupos budistas são ótimos exemplos de comunidades que passam ensinamentos através de storytelling.

Mais para frente, no texto, você verá mais exemplos de construções e outros tipos de estruturas possíveis de storytelling.

No entanto, agora, vamos conhecer um pouco mais sobre a história dessa arte milenar.

Desde os primórdios as pessoas ensinavam através de histórias

Por mais que o storytelling seja muito usado no cinema, por palestrantes ou até no marketing, sua presença e relação com a comunicação não é de hoje.

Por incrível que pareça, essa estrutura narrativa é utilizada desde quando nossos ancestrais se sentavam em torno das fogueiras e contavam sobre caçadas.

O ser humano sempre teve a vontade de passar para frente às histórias que viveu, além da necessidade de levar seus ensinamentos de uma forma simples.

O objetivo era gravar as mensagens na memória dos ouvintes, passando os conhecimentos necessários para a sobrevivência e funcionamento da ordem social.

Dessa forma, conseguiam explicar os mistérios da vida e do universo.

Um exemplo são as sagas gregas de Homero. A tradição de transmissão oral é a forma primitiva da arte de dizer.

Perpetuou essas narrativas como uma forma de ensinamentos transmitidos oralmente. Sua idade perde-se na poeira dos tempos, como diziam os poetas.

Não é atoa que esse método se manteve e é usado até hoje.

Porque ele faz diferença na sua estratégia

O storytelling serve para passar uma mensagem, prender a atenção do público, gerar uma conexão e até persuadir.

O público é levado a uma jornada, onde ele percorre cada passo junto com o protagonista.

Vive as dores e comemora a cada vitória.

Dessa forma, o emocional é tocado, se ligando as memórias.

O que torna o público muito mais propenso a aceitar a sugestão ou mensagem inserida.

Ao contar uma história, você consegue fazer com que todos vejam através da sua perspectiva.

Quando as pessoas se ligam emocionalmente a narrativa, é como elas a tivessem vivido e não só ouvido, registrando-as no inconsciente.

Compreendendo isso, muitos meios e artes diferentes utilizam essa estrutura.

Podemos encontrá-la no cinema, na música, em quadrinhos, palestras, na publicidade, no marketing e até em quadros. Veja a seguir!

Como e Onde o Storytelling Pode ser Usado

Como e onde o Storytelling pode ser usado

Essa técnica é usada para muitos fins e em diversas plataformas. O cinema é a mais comum.

O filme star Wars é um exemplo muito bem sucedido desse uso. Star Wars – O Despertar da Força, faturou sozinho mais de dois bilhões de dólares.

Outro exemplo célebre é a música. Eduardo e Mônica do Legião Urbana é uma canção construída em formato de storytelling.

A publicidade, por sua vez, busca, cada dia mais, tocar o público com historinhas emocionantes. A companhia aérea Westjet lançou uma campanha de natal surpreendente.

Na ação da westjet, centenas de passageiros, que esperavam seus voos no aeroporto, respondiam a um papel noel virtual seus desejos de natal.

Logo depois, veio a grande surpresa: Quando o avião pousou, ao invés de receberem suas malas na esteira, os passageiros receberam os presentes de natal que haviam desejado. Essa campanha virou viral na internet e uma referência.

As palestras que fazem uso de storytelling pipocam por todo lado, conquistando cada vez mais espectadores. Inclusive palestrantes que ensinam a outros palestrantes a usarem essa ferramenta.

Até quadros podemos citar, o famoso quadro Guernica, de Pablo Picasso, conta a história de um bombardeio que aconteceu durante a guerra civíl espanhola.

Isso cala a boca de quem achava que storytelling não podia ser contado em uma plataforma estática.

E porque parece que todos usam essa ferramenta? Simples: Porque ela funciona!

5 Fórmulas de Storytelling para uma Rápida Conexão

5 fórmulas de Storytelling para uma rápida conexão

1. Do fracasso a fama (Eu já estive no seu lugar)

A primeira história busca uma conexão rápida com quem está ouvindo.

Nela você precisa ter um problema bem específico, mas comum com a sua plateia.

Aí, em um dado momento, além de conseguir encontrar a solução dele, você se torna uma referência no assunto.

Por exemplo, a história poderia ser de uma menina depressiva, que apesar dos médicos dizerem que sua doença não tem cura, encontrou um meio de superar esse quadro e hoje ensina milhares de pessoas a fazerem o mesmo.

Ou de um vendedor, que todos ridicularizavam, mas que, após ter todos seus itens levados pelo “rapa”, encontrou um método eficaz de vender pela internet e ficou rico.

As principais etapas dessa história são:

1. Nós somos parecidos e eu tinha esse mesmo problema específico;

2. Eu também tinha medo e insegurança, mas algo aconteceu;

3. Você fez uma descoberta;

4. Essa descoberta revolucionou a sua vida, mesmo você sendo uma pessoa comum;

5. Agora, quero mostrar como você pode sair do fracasso também e ir para o sucesso.

2. A saga do idiota

O objetivo da jornada do idiota é mostrar como qualquer pessoa poderia ter sucesso.

É uma história que se conecta muito bem com o público, pois apesar de todos os erros que você cometeu ao longo do caminho você conseguiu chegar onde está.

As cinco principais etapas da jornada do idiota são:

1. Comece falando sobre seus tropeços.

2. Lembre-se de como foi no início, antes de você saber o que você sabe.

3. Seja autêntico e não tenha vergonha de mostrar os seus erros mais idiotas.

4. Incentive os outros a fazer mais.

5. Repita o trecho: “nem sempre foi assim”.

3. O herói por acidente

A história do herói por acidente surge quando você cai de paraquedas para ensinar pessoas sobre uma habilidade que você tem, mas que você não tinha a intenção de seguir por esse caminho.

Ou seja, você não tem a intenção de se tornar uma referência, mas a pressão e a demanda é tão grande que precisou seguir aquele chamado para o bem de todos.

Um ótimo exemplo para essa história é a do Doctor Strange

As principais etapas desse enredo são:

1. Você estava vivendo sua vida normalmente

2. Surgiu um problema e você descobriu como resolvê-lo.

3. Você ajudou amigos e eles espalham a mensagem.

4. Muitas pessoas começaram a pedir sua ajuda.

5. Você é uma pessoa comum e, como elas, também apresenta falhas.

4. O inimigo público

Essa história é usada quando existe uma força opressora, real ou inventada.

Ela é o tipo de história conecta facilmente, pois as pessoas adoram participar de grupos ou ambientes polarizados.

Um prova disso são as comunidades nas redes sociais e até as discussões nesses ambientes.

É basicamente assim: Existe um inimigo comum e é você que vai apontar o dedo e persuadir as pessoas a se juntarem nessa causa, em prol do bem comum.

Para construir uma narrativa do tipo Inimigo Comum, siga essas 4 etapas:

1. Se você não é um dos nossos, então você está contra nós.

2. O segredo que “eles” não querem que você saiba.

3. A culpa não é sua (mesmo que talvez seja).

4. Você claramente não é um deles.

5. A jornada do herói

Esse é o principal tipo de história dessa lista e a mais utilizada nos filmes de Hollywood.

O conceito da Jornada do Herói foi criado por Joseph Campbell, estudioso norte-americano de mitologia e religião comparada.

Ele criou um modelo de como seria o passo a passo do percurso de transformação do homem comum em herói, com todas as provações que surgem no meio do caminho.

A trama é construída em cada detalhe para adicionar todos os elementos que você não observa em um filme, mas os sente vivamente através de fortes emoções.

As 12 principais etapas são:

1. O herói vive uma vida comum até que tem um chamado;

2. A resistência, onde ela se recusa ou demora a aceitar o desafio;

3. Ele encontra o mentor e aceita o chamado;

4. Abandona o mundo comum e entra em outro mundo;

5. Encontra testes, aliados e inimigos;

6. Possui êxito nas provações;

7. Tem a maior crise, geralmente de vida ou morte;

8. Tem uma recompensa (elixir);

9. Ele começa a voltar para o mundo comum;

10. Só que ocorre outro teste, que ele tem que usar tudo que foi aprendido;

11. Ele volta para casa com o “elixir” e ajuda a todos.

Agora que você já sabe o que é, pra que serve, como é estruturado e alguns formatos possíveis, você vai aprender dicas incríveis de como se torna-se bom nessa arte.

Infográfico 5 fórmulas de storytelling para uma rápida conexão

O que eu Preciso para me Tornar um Excelente Storyteller

Para falar sobre isso, é primeiro necessário entender o que é um bom storyteller.

Como você leu acima, existem pessoas que nascem com essa habilidade, mas o que elas têm ou qual segredo sabem?

O bom storyteller tem empatia e sabe as necessidades, vontades ou até os sonhos do grupo com quem fala.

Além disso ele usa suas experiências para criar essa identificação (todos temos algo que as pessoas podem se identificar).

E uma boa história é capaz de provocar a liberação de hormônios e neurotransmissores.

Um conto com suspense, por exemplo, estimula a produção de dopamina, hormônio que aumenta o nosso foco e memória.

Já histórias com alta carga emotiva e que demonstram a vulnerabilidade de quem está contado, faz liberarmos ocitocina, responsável por criar confiança e despertar conexão.

Se a trama é trabalhada com humor, quem entra em cena é a endorfina, que faz as pessoas sorrirem e ficarem mais relaxadas.

Ela quebra a seriedade e a tensão que, muitas vezes, estão presentes em eventos e reuniões. Com isso, ficamos mais relaxados, focados e criativos.

Alcançar todas as coisas acima depende de fatores como: Conhecer bem o seu público, o ambiente que a história vai ser contada e, por fim, adaptar a história a esse contexto.

Visando esse objetivo, responda às seguintes perguntas:

  • O que você quer passar (qual mensagem);
  • com quem você vai falar;
  • por que você vai falar;
  • onde (lugar) ou através de que plataforma você vai fazer isso;
  • quando (em que momento) você vai expor;
  • como (com qual estrutura narrativa) você vai contar.

Aprendeu como começar e como desenvolver essa habilidade?

Então vamos a um passo a passo muito simples para um storytelling de sucesso – que você pode usar em qualquer lugar.

3 Passos para Criar um Storytelling

3 Passos para Criar um Storytelling

Começo

Inicie apresentando quem são os personagens da sua história.

Crie um herói ou um protagonista e mostre em qual ambiente sua história vai se passar.

Feito isso, comece a expor ou falar sobre a rotina dessa pessoa (Esse momento é muito importante, pois é aí que o público vai começar a sentir identificação com o personagem).

Termine essa parte exibindo um conflito inesperado, o primeiro conflito do personagem, onde existe um problema que ele tem que resolver (isso prende a atenção do público).

Meio

Aqui se dá a maior parte da sua história. Nessa parte, você começa mostrando a resposta do seu protagonista ao conflito inesperado.

A partir disso, desenvolva uma linha aonde os problemas vão aumentando e novos vão aparecendo e o protagonista tem que lidar com esses desafios.

Fim

Essa última parte deve ser iniciada com um dilema onde o protagonista é obrigado a tomar uma decisão. Logo após vem o clímax, onde a decisão é tomada e isso o coloca diante de um confronto.

Por fim, a resolução ocorre – onde a mensagem final será definida como positiva, negativa ou neutra.

Infográfico 3 Passos para Criar um Storytelling

Divirta-se Contando Histórias

Divirta-se contando histórias

O passo a passo acima pode ser usado para criar storytelling em muitos formatos e para muitos fins.

Foi desenvolvido para facilitar a sua vida. Ele pode servir para um curta, um teaser publicitário ou uma música. Para personagens, tramas fictícias ou reais.

Também é adequado para uma palestra ou texto persuasivo, onde, por exemplo, protagonista é você e você usa esse formato para estruturar sua história pessoal, contendo uma lição que deseja passar.

Ou até mesmo no marketing de conteúdo, onde narra um case de sucesso ou uma história fictícia impactante.

A estrutura ensinada e as outras mencionadas, tem o objetivo apenas de servir como base. No entanto, ela não é uma fórmula estática e irretocável.

Pelo contrário, você pode usar sua criatividade e adaptá-la para o seu objetivo e conteúdo.

Hoje em dia cada vez mais cineastas ou músicos quebram o padrão narrativo.

O bom do storytelling é que você pode dar a sua cara e brincar com essa estrutura, de acordo com seu público, desde que surta efeito.

Lembre-se, o essencial é: Conte uma história que cria identificação pessoal, que tenha altos e baixos (pois a vida não é retilínea), que surpreenda o público – isso prende a atenção da sua plateia – e, por fim, passe uma mensagem.

Se essa mensagem se relacionar com a ideia que você quer transmitir ou criar uma relação emocional com o produto que você deseja vender, tá feito!.

Eles dificilmente vão esquecer você.


Alex Vargas
Alex Vargas

Quer mudar sua vida? Vem comigo, eu te ajudo… Prometo que aqui nesse Blog você não vai encontrar enrolação, bla bla bla, apenas o que realmente funciona!

Deixe Seu Comentário

Deixe um comentário

Seu e-mail não será publicado.

    40 Comentários em "Guia do Storytelling: Aprenda a Arte de Contar Histórias que Vendem"

    • Karla Haydê

      Olá, mestre Alex, sou uma amante da literatura e consequentemente do storytelling. Sendo bibliotecária esses assuntos sempre fizeram parte da minha vida acadêmica. Quanto ao seu post, muito elucidativo. Parabéns!

      • Alex Vargas

        Opa, então sabe bem como usar o storytelling da maneira correta
        Agora só falta aplicar ao seu negócio, bora colocar a mão na massa!!
        Abraço

    • Sidnei José da Rocha.

      Estou a uns dias tentando aprender os aplicativos usados,como por na prática que é oque realmente necessito.ate já voltarei com mais dúvidas.
      Obrigado.

      • Alex Vargas

        Opa, se tiver muitas dúvidas sobre como usar alguma ferramenta, você pode usar o Youtube para aprender, ver tutoriais e muito mais!
        Abraço e Sucesso

    • leila

      O Alex Vargas,

      Vejo que ame muito o que faz, pq faz bem feito.
      A história da civilização humana já é uma estória que vai sendo modelada conforme os tempos de vivência cultural da população. O homem vive de contar estórias.
      Gostei do passo a passo e dos exemplos tb, ilustrativo.

      • Alex Vargas

        Olá Leila! Que bom que gostou! Realmente contar histórias faz parte da nossa história como humanidade! Um abraço!

    • Tiago Leal Pereira

      como sempre os melhores artigos, parabéns Alex e toda sua equipe.

      • Alex Vargas

        Opa Tiago! Muito obrigado! 🙂

        • Oliver Silva

          Ótimo conteúdo! Como sempre surpreendente a forma de explicar passo a passo, começarei a aplicar imediatamente no meu site. Obru6 PROFESSOR !

          • Alex Vargas

            Opa! Obrigadão Oliver!

    • Rodrigo

      Alex, as histórias podem ser fictícias ou precisam ser sempre reais?
      Obrigado!

      • Alex Vargas

        Olá! Podem ser fictícias, mas que tenham um conceito verdadeiro.

    • roberto ferreira

      Mais um texto muito bem elaborado, parabéns.
      Breve serei seu aluno.

      • Alex Vargas

        Opa Roberto! Fico feliz por isso!

    • Daniel

      Top demais esse artigo!!! Uma verdadeira aula muito bem resumida com todos os detalhes essenciais para ser um ótimo Storyteller. Gratidão pelo conteúdo gratuito!

    • Carlos Sergio Oliveira

      Muito interessante e proveitoso essa Técnica!

    • Marli Avila

      Querido Alex, Nossa! Você é tudo o que eu quero ser quando crescer. E, olha, se você soubesse minha idade, ficaria surpreso com este “crescer”.
      É que a maior parte das pessoas passa pela vida sem crescer e isto aconteceu comigo. Se você cresce querendo ser alguém totalmente diferente do que é, você cresceu mas não “cresceu” Você me ajudou demais. Continue ajudando pessoas. Isto é o real cerne da Vida. Obrigada.

      • Alex Vargas

        Muito obrigado mesmo! 🙂

    • Almaiza

      Excelente texto..parabéns.

    • Felissa Penna

      Excelente texto, Alex!
      Aliás, como tudo o que você escreve.

      Em breve serei sua aluna, se Deus quiser.
      Sucesso!

      • Alex Vargas

        Olá, muito obrigado pelo carinho, tudo isso é fruto de muita dedicação e paixão pelo Marketing Digital!
        Abraço e Sucesso na caminhada!!!
        Te espero no curso hein

      • Rakel

        É impressionante como na vida vc precisa ter uma boa narrativa impactante pra vc subir na sua carreira. Estou querendo comprar seu curso. Achei muito rico de conteúdo. Não só pra quem quer se engressar no Marketing Digital mas tbm pra outros fiz. Parabéns pelo trabalho!

        • Alex Vargas

          Fico esperando você como aluna!

    • Breno alves

      Gostei teu muito do que vc falou ,falou muita coisa boas ,e falou o que era certo.

      • Alex Vargas

        Opa, agora é só aplicar as técnicas ao seu negócio!!
        Abraço e Sucesso

    • Cecilia

      Muito bom, foi uma das leituras mais produtivas que tive até agora. Obrigada por compartilhar.

      • Alex Vargas

        Opa, obrigado por ter consumido esse conteúdo!! Fique a vontade aqui no blog, tem muitos artigos TOPS por aqui rsrsrs
        Abraço

    • Ana Cláudia Miranda

      Gostei. Muito bom . ESTAVA AUSENTE
      MAS AGORA ESTOU DETERMINADA.
      ESTOU AMANDO.
      Tenho objetivos
      MAS estou querendo do fazer vendas afiliadas JÁ. É quero um blog de moda

      • Alex Vargas

        Opa, foque no seu objetivo e na sua paixão, faça do seu trabalho, um hobbie!!!
        Abraço

    • Valéria Martins

      Nunca tinha ouvido falar em storytelling, à medida que fui lendo esse artigo, fui lembrando das histórias que li com esse estilo. Isso é apaixonante e desafiador.

      • Alex Vargas

        Opa, é uma estratégia excelente para atrair a atenção do leitor! Use-a com inteligência e você vai ver seus resultados crescendo muito!!
        Abraço e Sucesso

    • Nayara

      Melhor artigo sobre copy que já li! Ótimo conteúdo, Alex. Continue postando artigos relevantes com esse! 🙂

    • jorge

      Era exatamente o que eu estava procurando. Eu tinha visto esse assunto num modulo do meu curso, mas achei muito raso. Agora entendi melhor .

      • Alex Vargas

        Olá, agora é só aplicar!!!
        Abraço

    • antonio carlos

      gente parece que tudo que eu procuro nesse blog tem rsrsrs. Parabéns Alex

      • Alex Vargas

        Opa, se tiver mais ideias de conteúdo, é só mandar!!
        Abraço