Como Montar um E-commerce de Sucesso [Guia Completo] Alex Vargas 2018/08/01 at 12:23pm 2018/08/01 at 12:23pm

Você sabe o que é e-commerce?

Você já ouviu falar sobre e-commerce no Brasil, mas não sabe exatamente do que se trata?

Se você quer aprender como montar um e-commerce ou está procurando uma forma de se diferenciar das outras lojas da internet, você está no lugar certo!

Continue comigo neste artigo, pois agora você vai entender o que é e como montar um e-commerce.

GRÁTIS! Como Criar Seu Negócio Online do Zero... Garantido!

Download gratuito... Mais de 100 Páginas de pura estratégia!

Vamos juntos?

O que você vai aprender sobre e-commerce

O que é um e-commerce?

E-commerce é um termo em inglês que, traduzindo para o português, significa “comércio eletrônico”.

O e-commerce é uma forma de comércio, onde se utiliza meios eletrônicos para realizar os trâmites de compra e venda.

Quando o e-commerce surgiu, ele era baseado na compra e venda de coisas simples e de baixo preço, como CD, DVD e livros, por exemplo.

Agora, o e-commerce no Brasil e no mundo, é usado para o comércio dos mais variados produtos , que vai de roupas até carros de luxo, e não importa qual o preço.

Nos últimos anos, o e-commerce chegou com tudo, aqui no Brasil, pois os consumidores começaram a sentir mais confiança e segurança para fazer suas compras pela internet.

Além do e-commerce, existem outros tipos de comércio pela internet, como por exemplo, o marketplace.

O e-commerce é um modelo de negócios online muito bom, porém se você está começando, pode se interessar pelo marketing de afiliados também.

o que é um e-commerce

Os processos do e-commerce

Para que você entenda bem o que é um e-commerce, eu preciso destacar dois processos principais:

  • Compra;
  • Atendimento ao cliente.

É a partir desses processos básicos que o e-commerce se estende para o marketing, para o estoque e para o controle financeiro.

Com isso, ele otimiza o trabalho de gestão em diversas áreas, além de ter um grande peso estratégico em relação à logística.

Qual a diferença entre marketplace e e-commerce?

Para você entender a diferença entre esses dois modelos, primeiro você precisa entender o que é cada um e, como agora você já sabe o que é o e-commerce, vamos entender então, o que é o marketplace.

O marketplace é um modelo de comércio online que oferece produtos de várias marcas em uma única plataforma de venda.

Ele funciona como o mediador do pagamento, mas não é o responsável pela garantia, nem pela entrega dos produtos.

O marketplace é um modelo bem atrativo para os lojistas por causa da facilidade de gerenciamento, pois a estrutura já está toda pronta.

Nele, o lojista só faz um cadastro, registra os produtos e começa a divulgar. É como se fosse a vitrine de uma loja física.

Além disso, nesse modelo, também não precisa comprar domínio, nem ter outros gastos que a criação de um e-commerce exige.

Modalidades de e-commerce

Há diversos tipos de negócios para quem pensa em trabalhar com vendas pela internet.

Tanto para quem quer trabalhar com e-commerce, quanto para quem escolhe o marketplace.

A seguir, você vai aprender sobre cada modelo de e-commerce.

E-commerce B2B

E-commerce B2B (Business to Business) é o modelo usado por empresas em que os clientes (em sua maioria) também são empresas.

Essas empresas também vendem produtos prontos, mas a venda principal é de máquinas ou matérias-primas para fabricação de produtos.

Por causa das grandes transações, esse modelo precisa estar bem preparado para as variações de preços e condições de pagamentos.

Além disso, esse modelo também precisa estar preparado em relação a limite de crédito, pedidos mínimos, impostos e fretes.

Modelos de lojas virtuais e e-commerces

E-commerce B2C

Já o e-commerce B2C (Business to Client) é o modelo usado pelas empresas que fazem suas vendas diretamente para o consumidor final, independentemente do tipo de produto, que pode ser dos mais variados seguimentos.

As pessoas preferem o e-commerce porque é mais barato e mais prático do que uma loja física.

Mesmo assim, é preciso estar atento ao risco de fraudes e a demora na entrega do produto, que causam impactos negativos nos consumidores que fazem compras pela internet.

Muita gente ainda não se sente segura preenchendo seus dados pessoais e bancários na internet e, outras pessoas preferem ir até uma loja física para poder trazer o seu produto, pois não querem esperar o prazo de entrega.

Então, esses são pontos que precisam ser olhados com mais cuidado na criação de um e-commerce. 

Produtos Físicos e Produtos Digitais

Como todos nós estamos acostumados com produtos físicos, muita gente ainda pensa que e-commerce só envolve produtos físicos.

Mas a verdade é que, hoje, existe uma variedade enorme de produtos digitais vendidos em e-commerce. É o caso dos e-books, dos cursos, games, filmes, softwares, etc.

Os produtos digitais possuem muitas vantagens em cima dos produtos físicos.

Por exemplo, os produtos digitais não têm custo com entrega e o cliente não precisa esperar para usar o produto, pois ele terá acesso imediatamente.

Atacado

O e-commerce que trabalha com atacado é aquele que realiza vendas de grande volume de produtos.

O maior desafio para quem quer montar um e-commerce atacadista é, sem dúvida, a questão da logística.

Mesmo tendo que investir um pouco mais na parte de entregas, esse modelo de e-commerce consegue vender produtos com preços mais baixos do que uma loja física.

É aí que o e-commerce leva vantagem em cima das lojas físicas do mesmo nicho de atuação.

Varejo

Por outro lado, o e-commerce varejista trabalha com um pequeno volume de produtos e, por isso, possui um estoque pequeno.

No caso de uma loja física, quando falta um produto no estoque, o cliente é avisado rapidamente.

Já no e-commerce, é necessário ter um controle eficaz no sistema, para impedir que o cliente finalize um pagamento sem ter produto no estoque.

Por esses motivos, você precisa entender que, embora seja fácil montar um e-commerce, é preciso planejar bastante para que a sua escolha, entre o atacado e varejo, seja assertiva.

e-commerce no Brasil

Vantagens do E-Commerce 

Pouco investimento inicial

Para montar um e-commerce você não vai ter gastos com aluguel, nem contas de água, luz, internet, manutenção de equipamentos, etc.

Para montar um e-commerce, você vai precisar somente de domínio e hospedagem de site e você pode encontrar planos que cabem no seu bolso.

Quanto aos gastos com design e programação, você encontra temas gratuitos no WordPress, por exemplo, que já vem todo pronto para você usar.

Liberdade

Com um e-commerce, você tem toda a liberdade para escolher o design mais adequado para o seu produto e para o público que você quer atingir.

Além de poder administrar a sua loja em sua casa, durante uma viagem e nos horários que você achar melhor para a sua rotina e estilo de vida.

Loja aberta 24h por dia

Montar um e-commerce também te dá a vantagem de ter a sua loja funcionando 24 por dia, a semana toda.

Não importa se é domingo ou feriado, as pessoas vão fazer pedidos o ano inteiro, a qualquer hora.

É mais fácil de conhecer o seu cliente

Com o e-commerce você também terá mais facilidade para saber quem são os seus clientes, conhecer os hábitos deles, quais os produtos que eles mais compram, que tipo de conteúdo eles mais consomem, etc.

Assim, é mais simples para você lançar promoções, sabendo exatamente onde deve focar.

Flexibilidade

Montar um e-commerce é o melhor negócio para quem deseja ter flexibilidade de tempo, pois você pode trabalhar em casa (de madrugada, no domingo, no feriado, se achar melhor), não vai perder horas no trânsito, por exemplo.

Processo de vendas escalável

Diferente de uma loja física, no e-commerce, você realiza muitas vendas a partir de um mesmo anúncio.

No caso de produtos digitais, você não vai precisar montar um estoque, pois, aquele mesmo produto vai poder ser vendido para diversas pessoas.

Vantagens e Desvantagens do e-commerce

Desvantagens do E-Commerce 

Tudo na vida tem um lado positivo e outro negativo, assim como todo negócio tem suas vantagens e desvantagens.

Montar um e-commerce não significa só louros, principalmente se for de produtos físicos. Por isso, faça um bom planejamento, para saber se vale a pena investir.

Muita concorrência

Antes de investir na criação de um e-commerce, pesquise a concorrência, pois muita gente está pensando o mesmo que você e também vai montar um e-commerce.

Veja se vale a pena, analise se a concorrência é leal e se você poderá competir com ela.

Verifique quais são os produtos que os concorrentes estão oferecendo, se o seu produto concorre com eles e se você pode ser um diferencial no seu nicho.

Estude bem o seu nicho de mercado e ofereça a melhor solução para a dor do seu público-alvo.

Estoque

Outra desvantagem de um e-commerce é a questão do estoque, pois, como você ainda está começando, ainda não sabe quais são os produtos que vai conseguir vender mais.

Além disso, mesmo que você faça um grande estoque para garantir, vai ser complicado achar um espaço em sua casa para armazenar tudo e, provavelmente você vai precisar alugar um espaço para essa finalidade.

Claro que isso se aplica ao e-commerce de produtos físicos.

Entrega

A entrega é mais uma desvantagem de criar um e-commerce, pois a grande maioria dos clientes gosta de comprar um produto e receber imediatamente, por isso, o prazo de entrega pode ser uma grande desvantagem competitiva, principalmente se houver atrasos.

Conseguir mostrar a qualidade do produto

No e-commerce é difícil convencer o cliente de que o seu produto possui a qualidade que ele espera.

Vender roupas, sapatos e perfumes, por exemplo, é mais complicado ainda, pois o cliente deseja sentir o toque do tecido, experimentar a roupa, quer cheirar o perfume, sentir o conforto do sapato…

Os clientes que estão acostumados a comprar em loja física desconfiam da compra desse tipo de produto, no e-commerce.

Você já leu esse guia? 32 Formas de Renda Extra

Estratégias para alavancar o seu e-commerce

Para ter sucesso em seu e-commerce, você pode se inspirar nas lojas mais respeitáveis da internet, aquelas primeiras lojas, que conhecem o caminho das pedras.

Segmente os clientes

Para segmentar os seus clientes, você pode se basear em informações extraídas do cadastro do perfil deles (nome, idade, sexo) e também de toda comunicação que o cliente fizer com a loja.

É através da segmentação que você vai poder enviar e-mail marketing com ofertas e promoções personalizadas, de acordo com o interesse de cada cliente.

O cliente demonstra seus interesses através de pesquisas que ele faz na loja e que ficam registradas no histórico de dados do seu navegador.

Marketing de conteúdo para e-commerces

Trabalhe o Marketing de Conteúdo

O Marketing de Conteúdo é uma ótima estratégia para você impulsionar o seu e-commerce.

Um conteúdo de qualidade vai levar o visitante até o seu e-commerce.

Um bom conteúdo review, comparando dois produtos entre si e explicando como usar cada um deles, vai levar o leitor até o anúncio dos produtos.

A grande vantagem do marketing de conteúdo para o e-commerce é que, com ele, o seu site terá mais credibilidade para os usuários.

Além disso, com o marketing de conteúdo, o seu site será bem avaliado e avaliações positivas geram vendas.

Você pode inclusive avaliar a criação de um blog, para passar mais informações para os clientes.

Aumente o ticket médio

O aumento do ticket médio é uma estratégia para e-commerce que traz outras opções de produtos relacionados ao que o cliente está comprando, para a página que ele está.

Dessa maneira, o cliente é induzido a comprar mais produtos.

É parecida com a estratégia de organização de uma vitrine de uma loja física, onde existem sugestões de outros produtos para o cliente levar, junto com aquele que ele está comprando.

Na verdade, essa estratégia induz o cliente a comprar por impulso.

Ao montar um e-commerce, você precisa ser coerente com o perfil de cada usuário, para oferecer o produto mais adequado ao perfil dele, aumentando a possibilidade de realização da venda.

Crie categorias

Outra estratégia para você utilizar no e-commerce é criação de categorias para datas especiais, como dia das mães, dia dos namorados, natal, etc.

Os produtos que você vai colocar em cada categoria possuem um tema em comum, com foco em presentear alguém naquela data especial.

Quando o visitante acessar a sua loja, vai ser mais fácil para ele encontrar o presente ideal para aquela data e que ele não sabia o que comprar.

Além das categorias de produtos, você também pode criar categorias de preços. Por exemplo: Produtos de até 100 reais.

Fidelize seus clientes

Utilize cupons de descontos e programas de fidelidade para que o seu cliente volte a comprar na sua loja.

Essa é uma estratégia que já existia no comércio físico e que, sem dúvida, funciona muito bem no e-commerce também.

Quando você for enviar um produto para o seu cliente, envie um brinde junto, tipo uma amostra grátis de um produto em lançamento.

No caso de produtos digitais, envie um bônus, como um e-book, por exemplo.

Essa atitude, além de cativar o seu cliente, vai fazer com que ele conheça outros produtos e queira voltar e comprar outra vez.

Dispare um e-mail para o seu cliente, com um cupom de desconto na próxima compra, assim que ele finalizar o pagamento.

Dê para o seu cliente a opção de abater, no valor da compra, o desconto dos pontos acumulados no programa de fidelidade.

Quando você trabalha com estratégias para valorizar o cliente, ele vai ficar satisfeito com a compra, aumentando as chances de retornar a comprar na sua loja.

como montar o e-commerce em 8 passos

Como montar um e-commerce em 8 passos

Montar um e-commerce é bem simples, como você pode conferir com o passo a passo abaixo.

1.    Escolha um domínio

Compre um domínio que tenha a ver com o produto que você vai vender em seu e-commerce.

Escolha um nome simples, que seja fácil de ser lembrado pelas pessoas.

2.    Use uma plataforma e-commerce

Use uma plataforma e-commerce online, caso você não entenda de programação, pois nessas plataformas você encontra tudo que precisa para começar a montar o seu e-commerce.

Elas têm ferramentas com todas as funções necessárias para começar, além de diversas alternativas para personalizar do seu jeito.

Faça uma pesquisa de opinião, nas redes sociais, com pessoas que já usam esse tipo de serviço, para você poder decidir qual é a melhor opção para você, neste início.

3.    Venda produto físico

Escolher o tipo de produto que você vai vender no seu e-commerce é muito importante.

Primeiro você precisa escolher se vai vender um produto físico ou digital.

É essencial decidir isso durante a criação do seu e-commerce, pois essa decisão envolve estratégias de entrega, devolução, etc.

A venda de produtos físicos é bem mais comum do que a de produtos digitais, pois as pessoas já estão acostumadas com esse tipo de produto e com a logística de entrega.

Os produtos físicos mais vendidos são livros, roupas, sapatos, alimentos, cosméticos, etc.

4.    Venda produto digital

No caso dos produtos digitais, a logística é bem mais simples, pois as vendas são escaláveis e ilimitadas.

Na venda de produtos digitais, você tem menos custos e não vai depender de estoque, pois você pode fazer inúmeras transações através de um único anúncio.

Neste tipo de produto, você vai poder gerar renda durante todo o período em que o produto estiver à venda, inclusive simultaneamente.

O lado negativo deste tipo de produto é a pirataria.

Para você evitar que o seu produto seja distribuído de forma ilegal, você precisa lançar mão de mecanismos que impedem essa prática, como fazem os produtores de cursos online.

Os produtos digitais mais vendidos são e-books, audiobooks, softwares, cursos online, programas de assinatura, etc.

5.    Crie um sistema de cobrança

Você precisa tomar bastante cuidado com essa parte, pois o sistema de cobrança do seu e-commerce precisa ser muito seguro, afinal, os seus clientes vão preencher os dados bancários nele.

Você pode escolher um sistema direto, onde toda a transação é feita dentro do seu e-commerce.

Ou você pode escolher um sistema indireto, como o PayPal Pagseguro, MundiPagg, etc.

A vantagem do sistema de pagamento direto é que é mais rápido e bem prático para o cliente, mas, muitos deles ficam um pouco desconfiados e inseguros de preencher seus dados bancários em um site que eles não conhecem.

Para você, que ainda está montando o seu e-commerce, eu aconselho a usar um subadquirente, ou seja, um intermediador na hora do pagamento.

Dessa maneira, o cliente vai se sentir mais seguro, até você criar a sua reputação na internet e poder ter mais autonomia nessa área.

6.    Monte um estoque

Acredito que um dos maiores desafios para quem quer montar um e-commerce para vender produtos físicos é o estoque.

Isso porque, mesmo começando com o seu e-commerce, você precisa saber calcular a demanda de produtos e essa parte pode ser bem complicada no início de um e-commerce.

Se você não souber gerenciar essa parte, pode sair no prejuízo, pois se faltar produto, você vai ter vendas perdidas e se sobrar, esses produtos podem encalhar.

Se fizer pedidos em excesso, você vai precisar fazer promoções em seu e-commerce, para não sair em total prejuízo.

Outro ponto a ser citado aqui é sobre o local de armazenamento dos produtos.

Pois, dependendo do produto, é necessário um local com condições bem específicas para ser estocado.

Além disso, quando o seu e-commerce crescer e suas vendas aumentarem, provavelmente você vai precisar de um espaço maior para estocar seus produtos.

7.    Sistema de entrega

Enquanto o seu e-commerce está no início, você pode utilizar os correios para fazer a entrega dos seus produtos. Muitos e-commerces começam suas entregas dessa maneira.

Mas isso vai depender muito do tipo de produto que você vai vender e do prazo de entrega que você vai oferecer.

Quando o volume de pedidos do seu e-commerce for maior, você pode fazer parcerias com transportadoras.

Dependendo da quantidade de produtos, vai ser mais vantajoso para você, além de ser um diferencial em relação  à concorrência.

8.    Atendimento

Crie canais de comunicação entre você e os seus clientes. Isso faz com que o cliente seja ouvido e que você possa solucionar qualquer problema que surja.

Além disso, com um canal de comunicação, o cliente vai poder solicitar troca, reembolso, fazer reclamação, dar sugestões e avaliar o seu e-commerce.

Não se esqueça de que uma avaliação positiva vai ajudar na reputação do seu e-commerce.

Por esse motivo, você precisa dar uma atenção maior ao atendimento ao cliente, pois se você não criar um canal de comunicação ou se ele for ineficiente, seus clientes insatisfeitos vão postar suas reclamações nas redes sociais e em sites como o Reclame Aqui.

como aumentar as vendas com e-commerce

E-commerce: como aumentar as vendas

Para vender pela Internet, tenha em mente que, mesmo que o seu produto seja um pouco mais caro, se ele soluciona o problema do cliente e agrega valor para vida dele, tenha certeza de que ele vai pagar o que você está cobrando.

Mas, se você vender um produto de má qualidade ou se o seu suporte não for eficaz, isso pode afetar o seu relacionamento com o cliente.

Por isso, eu listei algumas dicas, aqui abaixo, para ajudar você a aumentar as suas vendas no seu e-commerce.

  • Ofereça conteúdo de valor

Não adianta estar presente em todas as Redes Sociais, blog, e-mails, etc., se você não oferecer um conteúdo de qualidade, que agregue valor ao seu cliente.

A dica aqui é conhecer bem a sua persona, para identificar quais os assuntos que o seu cliente quer ler, para poder criar conteúdo de qualidade, que ele vai achar interessante e vai compartilhar.

·       Crie um menu de fácil navegação

Crie um menu bem simples e fácil de navegar. Dessa forma, o usuário não vai ter dificuldade de encontrar o que está procurando.

Um menu intuitivo também induz o cliente a querer ver outros produtos, o que o leva a comprar mais no seu e-commerce.

·       Organize seus produtos

Organize os seus produtos por segmentação. Assim, você vai otimizar a experiência do cliente e diminuir o tempo que ele levaria para encontrar o produto que deseja.

Crie segmentos, como “mais vendidos”, “melhores avaliações”, “menor preço”, etc.

·       Faça uma boa descrição

Descreva detalhadamente o seu produto.

Forneça todas as informações que o cliente precisa saber. Isso faz com que o consumidor tenha mais segurança na hora de comprar.

Caso o seu e-commerce seja de produtos digitais, deixe bem claro para o cliente, que ele receberá o acesso ao seu produto, automaticamente, após a confirmação do pagamento.

Não deixe margens para dúvidas. Quanto mais detalhada for a descrição do seu produto, menos reclamações você vai ter no seu e-commerce.

Use imagens do produto, para ajudar nessa questão.

·       Exponha as avaliações

Deixe as avaliações sobre o seu produto exposta na primeira página do seu e-commerce.

Avaliações positivas de outros clientes vão impulsionar as suas vendas, pois influenciam na decisão do cliente, na hora de comprar.

·       Crie uma boa copywriting

A copywriting serve para você persuadir e convencer as pessoas a agir de acordo com o que você pretende. Por isso, a importância de criar uma boa copywriting.

Você precisa escrever de uma maneira bem persuasiva, focando nos benefícios que o seu produto vai proporcionar para o visitante.

Na estratégia de copywriting, mais importante do que mostrar as características de um produto, é mostrar os benefícios que ele vai trazer para a vida de quem comprar.

  • Adicione botões de compartilhamento

Para que outras pessoas entrem no seu e-commerce e conhece os seus produtos, aposte nas redes sociais, adicionando botões de compartilhamento.

É nas redes sociais que as pessoas estão e elas podem te ajudar muito a aumentar o seu tráfego.

Eu também indico que você faça testes e descubra quais são os melhores horários para você fazer suas postagens em suas páginas.

Pois quando você posta seu conteúdo nos horários mais visitados, as pessoas vão poder interagir com o seu post.

·       Crie uma FAQ

A FAQ (frequently asked questions – “perguntas mais frequentes”, em português) é o local do seu e-commerce onde as pessoas vão encontrar as dúvidas mais comuns sobre os seus produtos e sobre o seu e-commerce, em geral.

É nessa parte que você vai deixar informações importantes como, por exemplo, formas de pagamento, política de devolução, etc.

Forneça um e-mail e um telefone para contato, caso o cliente não tenha encontrado a resposta para a sua dúvida.

A FAQ é um tipo de suporte para as dúvidas mais simples, fáceis de serem resolvidas e que com uma resposta pronta já soluciona o problema do cliente.

·       Acompanhe as mudanças

Acompanhe as mudanças da internet, pois tudo muda muito rápido.

É essencial que você fique de olho nas novidades do seu nicho de mercado.

Observe os seus concorrentes e veja como eles se relacionam com o público-alvo.

Descubra quais são as dores que o seu público-alvo possui e que ninguém está atendendo ainda.

Se você focar na solução para o seu público-alvo e que os seus concorrentes ainda não oferecem a solução, você pode ter um retorno excelente, pois a sua concorrência vai ser bem menor.

Recomendação de Leitura: Trabalho em Casa: 08 Formas

monitore seu e-commerce para o sucesso

E-commerce – Monitoramento

Ao montar um e-commerce, você precisa monitorar constantemente os resultados de suas ações.

O principal objetivo do monitoramento é otimizar o seu e-commerce constantemente, observando se as estratégias estão dando certo, mudando o que for preciso, medindo o desempenho, etc.

É preciso que você acompanhe os principais indicadores do seu e-commerce.

E os principais indicadores de um e-commerce são:

·       Tráfego

As pessoas precisam entrar no seu e-commerce para poder comprar os seus produtos.

Para que as pessoas visitem o seu e-commerce, você precisa utilizar estratégias para atrair tráfego. Por isso que o monitoramento é tão importante.

Então, monitore quantas pessoas acessam o seu e-commerce e, de acordo com o resultado, utilize estratégias para atrair tráfego, como por exemplo, estratégias de SEO.

O monitoramento do tráfego de um e-commerce pode ser feito semanalmente.

·       Fontes de tráfego

Descubra quais são as suas melhores fontes de tráfego, para assim poder trabalhar bem as estratégias e ajustá-las ainda mais para conseguir obter melhores resultados.

Identifique o que dá certo para trazer tráfego para o seu e-commerce e foque mais nas estratégias dessa fonte.

Identifique também quais as fontes que não estão dando resultado e mude as estratégias nessas fontes de tráfego.

·       Conversão

Para fazer um monitoramento da conversão do seu e-commerce, é necessário que você verifique quantas pessoas visitaram o seu site e realizaram uma compra.

É muito importante que você monitore as métricas de conversão do seu e-commerce para que você possa fazer melhorias nas suas páginas.

·       Carrinho

O que você precisa monitorar nesse item é o abandono do carrinho depois que o visitante adiciona itens a ele.

Geralmente, o abandono é devido ao valor final da compra, depois de acrescentar o frete, ou o prazo de entrega do produto.

O ideal é que você tenha um sistema automático de envio de e-mail para o visitante, com um lembrete de que ele não finalizou a compra dos itens que adicionou ao carrinho.

Aproveite essa estratégia e envie uma proposta de desconto, caso ele finalize a compra.

·       Avaliações

As avaliações são excelentes indicadores da satisfação do cliente em relação ao seu e-commerce e aos seus produtos.

É através das avaliações dos visitantes que você vai poder monitorar o engajamento deles com o seu e-commerce.

Esteja atendo às avaliações publicadas em seu e-commerce, pois é nelas que você vai encontrar muitas informações importantes para que você possa melhorar cada vez mais o seu e-commerce, em todos os aspectos.

Na área administrativa do seu site, procure controlar comentários que contenham ofensas, para não destruir a boa reputação do seu e-commerce.

·       Tempo de resposta

Monitore o tempo que o seu e-commerce leva para responder às solicitações dos usuários.

Verifique se o atendimento ao cliente do seu e-commerce está sendo eficiente quanto ao tempo de resposta, para saber se as estratégias estão dando certo.

Se o tempo de resposta do seu e-commerce não for satisfatório, verifique se precisa de mais pessoas para atender.

Os clientes prezam por um atendimento rápido e eficiente.

Realize o atendimento ao cliente no decorrer do dia, para acompanhar a ordem de solicitação. Dessa forma, o tempo de espera diminui.

Caso não seja possível fazer esse atendimento com agilidade e redução de tempo, seria interessante contratar mais atendentes.

·       Tempo de reposta para solução

Mas o tempo de resposta vai além do tempo que o cliente esperou para ser atendido, pois é necessário monitorar também o tempo que o seu e-commerce levou para resolver o problema que o cliente reclamou.

Para reduzir o tempo de solução das reclamações dos clientes, você pode dividir o atendimento por categoria, como por exemplo, categoria de atraso na entrega, categoria de produto com defeito, etc.

·       Competitividade

É muito importante monitorar todo o mercado, para analisar os preços e comparar o seu preço com os oferecidos pelos seus concorrentes.

Isso, porque o preço é o fator principal que faz um usuário escolher em qual e-commerce ele vai comprar o produto que procura.

Existem, hoje, vários sites especializados em comparar os preços entre e-commerces e é lá que os consumidores vão, antes de comprar.

Por isso, um e-commerce precisa ser bem dinâmico em relação aos preços, assim como fazem as grandes empresas, que criam até seções especialmente para oferecer produtos com preços mais baixos e com ofertas que mudam depois de algumas horas.

Os grandes e-commerces aproveitam todas as oportunidades possíveis para vender cada vez mais os seus produtos.

E-commerce no Brasil - Potencial de lucro enorme

O e-commerce no Brasil

O e-commerce no Brasil oferece um grande potencial de negócios.

Segundo alguns dados obtidos através de pesquisas, o e-commerce cresceu 12% em 2017 e tem uma projeção de 15%, ainda esse ano de 2018.

Uma pesquisa feita pela Federação do Comércio do Estado do Rio de janeiro (Fecomércio-RJ), junto com o Instituto Ipsos, mostrou que, desde 2011, é a primeira vez que o cenário econômico é visto com otimismo.

A pesquisa mostrou que 33% das pessoas entrevistadas acreditam na recuperação da economia no Brasil.

Em 2016, outra pesquisa havia mostrado que apenas 15% dos entrevistados estavam otimistas em relação à economia brasileira.

Se o otimismo demonstrado nessas pesquisas se refere ao comércio tradicional, a perspectiva de crescimento do comércio eletrônico é bem mais ampla.

Outra pesquisa, realizada pela Associação Brasileira de Comércio Eletrônico (ABCom), o e-commerce no Brasil saiu de um faturamento de R$: 18,5 bilhões em 2011 para um faturamento acima de R$: 60 bilhões em 2017, com um alcance de 12% de crescimento.

Nesse cenário favorável e com tendências positivas no mercado, ainda em 2018 o e-commerce no Brasil promete crescer cada vez mais, superando os 15%.

Para concluir

Agora que você já sabe o que é um e-commerce, já domina os temas básicos sobre como criar um e-commerce e entendeu como está a situação do e-commerce no Brasil, comece agora a colocar seus planos em ação.

Se você entendeu todos os passos que deve seguir para montar um e-commerce, dê o primeiro passo agora mesmo e não deixe de estudar cada etapa, para se diferenciar no mercado e crescer cada vez mais.

Continue acompanhando o Nucleo Expert, vamos trazer cada vez mais conteúdos com os melhores modelos de negócios online, e se você ainda não baixou meu e-book Guia Definitivo para Criar Seu Negócio Online, clique aqui!

87 Compart.
Compartilhar87
Twittar
Compartilhar
WhatsApp